sexta-feira, 28 de agosto de 2009

ENEM - AULA 03 - Biologia - Profª. PATRÍCIA


ENEM
Data: 01.09.2009
Conceitos Pré –requisitados:
• Organelas citoplasmáticas: formas e funções
• Formas de obtenção de energia pelos seres vivos: processos aeróbios e anaeróbios.
• Engenharia genética , duplicação do DNA, transmissão de características hereditárias e síntese protéica.
Tipos básicos de organelas citoplasmáticas

Lisossomos
Estrutura: pequenas vesículas com enzimas digestivas.
Função: digerir substâncias que penetram na célula por fagocitose ou pinocitose, além de digerir estruturas celulares desgastadas pelo uso.
Complexo de Golgi
Estrutura: conjunto de membranas em forma de sacos, que estão sempre empilhados.
Função: armazena as substâncias produzidas no interior da célula.
Retículo endoplasmático
Estrutura: sistema de membranas que se apresentam sob a forma de canalículos, tubos e sacos
Função: é onde circulam as substâncias fabricadas pela célula, a síntese de esteróides, inativa certos hormônios e substâncias nocivas à saúde.
Ribossomos
Estrutura: grânulos encontrados de forma livre no hialoplasma ou aderidos no retículo endoplasmático.
Função: está relacionado com as diversas sínteses protéicas que ocorrem no interior da célula.
Mitocôndrias
Estrutura: estruturas membranosas.
Função: onde ocorre a respiração celular.
Cloroplastos
Estrutura: estruturas membranosas que contém pigmentos verde.
Função: são responsáveis pela fotossíntese.
obs: essas estruturas não estão presentes em células animais.
Centríolos
Estrutura: cilindros tubulares.
Função: estão relacionados com a divisão e o esqueleto celular.
Vacúolo de suco celular
Estrutura: estão presentes principalmente nas células vegetais.
Função: participam do controle osmótico celular e do armazenamento de substâncias
Peroxissomos:
Estrutura: pequenas vesículas presentes em todas as células eucariotas.
Função: elas iniciam o processo de oxidação de lipídios (que termina na mitocôndria) e oxidam moléculas tóxicas, como o álcool. Nesse processo se forma água oxigenada (peróxido de hidrogênio), que é decomposta em água e oxigênio pela enzima catalase presente nessa organela.

* VEJA IMAGEM ACIMA


Engenharia Genética
A utilização de microorganismos, plantas e animais para a produção de substâncias úteis ao homem é chamada de biotecnologia. A engenharia genética é uma nova biotecnologia, baseada nas técnicas modernas de manipulação do DNA, que permite transplantar genes de uma espécie para outra e criar uma molécula de DNA que não existia na natureza.
Algumas bactérias possuem a capacidade de se defender dos ataques de vírus produzindo enzimas especiais, as enzimas de restrição. Essas enzimas fragmentam o DNA do vírus impedindo sua reprodução. Essas enzimas se transformaram em grande fermenta da engenharia genética.
Com o auxílio de uma enzima de restrição é possível abrir a molécula de DNA e introduzir nela um fragmento de DNA de outra espécie. Assim esse DNA torna-se um DNA recombinante, isto é, uma molécula de DNA não encontrada na natureza. Desta forma pode ser introduzida no organismo que passa a ser um organismo geneticamente modificado (OGM) ou transgênico. Quando esse organismo de reproduz, o DNA recombinante também se replica, passando para os novos organismos. Esse processo de cópias idênticas de DNA é chamado de clonagem de DNA.
Hoje existem bactérias capazes de produzir insulina humana, usada no tratamento de diabético, cabras com genes humanos cujo leite tem fatores para a coagulação do sangue, plantas com sementes mais produtivas, mais resistentes a secas e outros fatores climáticos, diminuição no uso de agrotóxicos, etc... No Brasil e em muitos outros países há restrições a esses produtos, com o argumento de que não há provas suficientes de que esses transgênicos não causem danos à saúde ou desequilíbrio ambientais a longo prazo.
______________________________________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário